Commenced in January 2007
Frequency: Monthly
Edition: International
Paper Count: 30063
Knowledge and Attitude: Challenges for Continuing Education in Health

Authors: André M. Senna, Mary L. G. S. Senna, Rosa M. Machado-de-Sena

Abstract:

One of the great challenges presented in educational practice is how to ensure the students not only acquire knowledge of training courses throughout their academic life, but also how to apply it in their current professional activities. Consequently, aiming to incite changes in the education system of healthcare professionals noticed the inadequacy of the training providers to solve the social problems related to health, the education related to these procedures should initiate in the earliest years of process. Following that idea, there is another question that needs an answer: If the change in the education should start sooner, in the period of basic training of healthcare professionals, what guidelines should a permanent education program incorporate to promote changes in an already established system? For this reason, the objective of this paper is to present different views of the teaching-learning process, with the purpose of better understanding the behavior adopted by healthcare professionals, through bibliographic study. The conclusion was that more than imparting knowledge to the individual, a larger approach is necessary on permanent education programs concerning the performance of professional health services in order to foment significant changes in education.

Keywords: Health education, continuing education, training, behavior.

Digital Object Identifier (DOI): doi.org/10.5281/zenodo.1127589

Procedia APA BibTeX Chicago EndNote Harvard JSON MLA RIS XML ISO 690 PDF

References:


[1] M. A. Nogueira, A. Catani Escritos de Educação. Seleção, organização, introdução e notas. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.
[2] M. Gadotti. Perspectivas atuais da educação. Revista São Paulo em Perspectiva. v. 14, n. 2, 2000.
[3] Morin, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: UNESCO, Cortez, 1999. In: . Acessed in: January 24, 2008.
[4] E. G. Cyrino, M. L. Toralles-Pereira. Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cad. Saúde Pública, v.20, n. 3, p.780-788, 2004.
[5] P. Faconnet. Educação e sociologia. Emile Durkheim; com um estudo da obra de Durkheim pelo Prof. Paul Fauconnet. Tradução: Lourenço Filho. 11. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1978.
[6] T.P. Neves, E.A. Cortez, C.O.F. Moreira. Biossegurança Como Ação Educativa: Contribuições à Saúde do Trabalhador. Cogitare Enferm. v. 11, n. 1, p. 50-54, 2006.
[7] V. del Rio. Cidade da Mente, Cidade Real: percepção ambiental e revitalização na área portuária do Rio de Janeiro. In: V. DEL RIO, L. OLIVEIRA (org.) Percepção Ambiental: a experiência brasileira. 2ª ed. São Paulo: Studio Nobel, 1999.
[8] N. M. F. Candeias, R.S. Marcondes. Diagnóstico em educação em saúde. Um modelo para analisar as relações entre atitudes e práticas na área da saúde. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 13, pág. 63-8, 1979.
[9] C. O. F. Moreira. Entre o indivíduo e a sociedade: um estudo da filosofia da educação de John Dewey. Bragança Paulista: EDUSF, 2002.
[10] E. V. Mendes. A evolução histórica da prática médica: suas implicações no ensino, na pesquisa e na tecnologia médicas. Belo Horizonte: PUC-MG/FINEP, 1984.
[11] Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 198, GM/MS, de 13 de fevereiro de 2004. Institui a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras previdências. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.
[12] L. C. M. Feuerwerker. Educação dos profissionais de saúde hoje – problemas, desafios, perspectivas, e as propostas do Ministério da Saúde. Revista ABENO. v. 3, n. 1, p. 24-27, 2003.